Estresse e o Coração

ESTRESSE AGUDO


O estresse agudo tem grande importância para nossa sobrevivência. Devido a ele que conseguimos tomar as atitudes necessárias diante de um perigo iminente. Ele prepara nosso organismo para reações de luta ou fuga. E isso foi imprescindível para a sobrevivência da nossa espécie ao longo dos anos.


Durante o estresse agudo, ocorrem inúmeras reações no nosso corpo, ativando nossos sistemas endócrino, neurológico e imune, sendo liberadas substâncias como cortisol e adrenalina no nosso sangue. Como reação a essas substâncias, nossa pressão arterial, nossa frequência respiratória e nossos batimentos cardíacos aumentam, facilitando a distribuição de oxigênio para células dos nossos músculos e cérebro, aumentando a nossa atenção e permitindo uma reação de luta ou fuga. Nosso sistema imune ao se ativar, também desencadeia uma resposta inflamatória, a fim de combater possíveis danos que possam surgir no nosso corpo.


Após cessar o estresse, existem respostas de feedback negativo que controlam toda essa cascata de ativação neuro-endócrino-imunológica, a fim de que o corpo retorne para o seu estado basal, de harmonia.


ESTRESSE CRÔNICO E ESTRESSE AGUDO REPETIDO


O grande perigo atual é que a maior parte das pessoas vive sob estresse crônico ou estresses repetidos, ativando continuamente os sistemas neuro-endócrino e imunológico, não permitindo que os sistemas regulatórios tragam a harmonia de volta para nosso corpo.


Essa condição predispõe ao surgimento de doenças cardiovasculares, como:

  • Hipertensão Arterial: através da elevação mais constante da Pressão Arterial

  • Arritmias cardíacas: através da hiperestimulação do sistema nervoso simpático, com aumento dos batimentos cardíacos

  • Infarto do coração e AVC: através da liberação de substâncias pró-inflamatórias que levam a lesão dos vasos sanguíneos, facilitando o acúmulo de placas de gordura.

Além das doenças cardiovasculares, também existe uma associação do estresse com doenças auto-imunes, depressão e câncer.


CONTROLE DO ESTRESSE


A boa notícia é que estudos têm demonstrado que o controle do estresse através de técnicas respiratórias, psicoterapia, meditação, dentre outras formas de relaxamento, são capazes de diminuir os danos causados pelo estresse. Além disso, a atividade física também é uma alternativa simples que ajuda a prevenir doenças cardiovasculares e estimula a liberação de substâncias como endorfina e serotonina, responsáveis pela sensação de bem estar.


Sabemos que nos dias de hoje não é possível nos livrarmos de todos as fontes de estresse, porém, cabe a nós encontrar a melhor estratégia que nos permita reagir de uma melhor forma diante dos fatores estressantes, não deixando que o estresse nos domine e nos faça adoecer.



15 visualizações0 comentário

Posts recentes

Ver tudo